8 de março


“Estar com pessoas reais que nos aqueçam, que apoiem e elogiem nossa criatividade, é essencial para a corrente de vida criativa. Do contrário, acabamos congeladas. O ambiente propício é um coro de vozes tanto interiores quanto exteriores que observa o estado de ser da mulher, tem o cuidado de incentivá-lo e, se necessário, também a conforta. Não tenho certeza do número de amigos de que precisamos, mas decididamente um ou dois que considerem o seu talento, qualquer que ele seja, pan de cielo, o pão dos céus. Toda mulher tem direito a um coro de elogios.”

Clarissa Pinkola Estés, em “Mulheres que correm com os lobos”


Eu costumo compartilhar este trecho com minhas amigas e, no dia de hoje, gostaria de compartilhá-lo com todas as mulheres.


“Toda mulher tem direito a um coro de elogios.” Nem sempre é fácil escutá-lo – ainda hoje, há tantas vozes de desprezo e de violência que o abafam ou quase o silenciam. Mas, quando o acessamos, é fácil reconhecê-lo: está no sorriso que trocamos com uma desconhecida, no comentário carinhoso de uma amiga, no abraço reconfortante de nossas ancestrais...


Quero dizer que faço parte desse coro: toda vez que vejo uma mulher perseguir seus sonhos, encerrar um ciclo e se lançar ao novo ou se amar e espalhar esse amor pelo mundo, meu coração se aquece e se enche de inspiração.


Quero também agradecer tudo o que esse coro faz por mim.


Não tenho dúvida: somos pan de cielo.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo