O mundo é meu quintal

Como é a sua relação com a natureza?


No início desta semana, abri nos meus Stories uma caixa com essa pergunta. Fiquei muito feliz com a generosidade de quem participou dessa conversa e encantada com as respostas.


Uma necessidade diária, um chamado ancestral, um retorno ao que nos é essencial, uma experiência de paz... Há tantas formas de viver e expressar essa relação. Impossível descrever de forma única ou definitiva um relacionamento em que experimentamos o belo, o perfeito, o divino e, simultaneamente, o mistério, o brutal, o incontrolável.


Quando penso na minha relação com a natureza, lembro-me do genial Manoel de Barros. “Meu quintal é maior que o mundo”, disse o poeta, revelando que a partir do microcosmo do seu quintal, povoado de sapos e insetos, ritmado pelo fluir das águas e cantar dos pássaros, ele se relaciona com a vastidão de todo universo. Gosto de fazer esse exercício, encontrar a natureza no espaço da própria casa, inclusive no corpo, nossa morada mais íntima, igualmente povoada e ritmada pela natureza.


Também me agrada o movimento inverso: fazer do mundo meu quintal. Não é preciso ir longe, uma volta na quadra já é suficiente para testemunhar o apelo estridente do quero-quero, o perfume do jasmineiro em flor, até o cocô do cachorro do vizinho distraído – como em qualquer relação, nem tudo cheira bem o tempo todo. É assim com a natureza que há em mim, é assim com a natureza que há em toda parte.


E para você, como é?



Photos by Alex Iby, Ramesh Iyer, Noah Buscher and Ian Stauffer on @unsplash


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo